Feugiat nulla facilisis at vero eros et curt accumsan et iusto odio dignissim qui blandit praesent luptatum zzril.
+ (123) 1800-453-1546

Related Posts

Title Image

Fertilização in vitro (FIV)

Home  /  Reprodução Humana  /  Fertilização in vitro (FIV)

A Fertilização In Vitro (FIV) é uma técnica sofisticada, de alta complexidade que acontece em quatro etapas. Na primeira etapa de estímulo ovariano, a mulher toma medicações hormonais em uma maior quantidade para amadurece o maior número de óvulos e posteriormente ocorrerá a coleta de óvulos. Após a coleta dos óvulos, o homem colhe os espermatozoides, que são ou disponibilizados para que o espermatozoide penetre espontaneamente ou se injeta um espermatozoide em cada óvulo. No dia seguinte é que se sabe se esse óvulo foi fertilizado pelo espermatozoide. A partir daí, os embriões se formam de 3 a 5 dias depois da fertilização e estão prontos para serem depositados no interior do útero, o que é chamado de transferência embrionária.

Qual a taxa de sucesso deste tratamento?

A taxa de sucesso varia de acordo com a idade da mulher, com a idade do homem, com a qualidade dos óvulos e com a qualidade dos espermatozoides. De um modo geral, pode-se dizer que de cada 100 casais que se submeteram ao tratamento de Fertilização In Vitro, 52 deles conseguem obter a gravidez, ou seja, o índice de sucesso gira em torno de 52%.

Quais as indicações da Fertilização in vitro?

A Fertilização in vitro está indicada principalmente quando existe uma infertilidade por fator tubário – obstrução das tubas – ou uma qualidade seminal muito ruim, porém também está indicada em casos de endometriose, infertilidade sem causa aparente, mulheres de idade mais avançada, mulheres com baixa reserva ovariana, abortamento de repetição, falha de tratamentos de baixa complexidade ou desejo do casal em seguir direto para um tratamento de alta complexidade, entre outras.

Como inicia o ciclo de Fertilização in vitro?

Antes de iniciar o ciclo de fertilização “in vitro”, a paciente receberá as informações da equipe de orientação. O casal deverá ter todos os resultados de exames reavaliados e a paciente será orientada a submeter-se à ultrassonografia no
início do ciclo em que fará o tratamento (entre primeiro e terceiro dia do ciclo menstrual).

O termo de consentimento informado deverá estar preenchido e assinado nesse momento. Salienta-se para o casal a necessidade do uso de preservativo a partir desse instante para evitar infecções durante o tratamento.

Medicamentos de uso frequente:

  • GnRH – Agonistas (Gonapeptyl, Zoladex, Lupron, Reliser e Synarel);
  • GnRH – Antagonista (Cetrotide, Orgalutran);
  • Gonadotrofinas – (Gonal F, Puregon, Fostimon, Menopur, Merional, Pergoveris);
  • hCG – (Ovidrel, Choriomon);
  • Progesterona – (Utrogestam 200, Evocanil 100, Crynone).

Protocolo mais utilizado na Fertilização in vitro:

Protocolo com Antagonista de GnRH:

Após ultra-sonografia de 2º dia do ciclo, se ovários estiverem em repouso e o endométrio fino, a paciente será orientada a aplicar a medicação de estímulo (FSH, LH pu hMG) diariamente entre 18 e 20 horas. Nesse período de estímulo ovariano, que dura em torno de 10-12 dias, a paciente irá realizar cerca de 3-5 ultrassons de controle para avaliar o crescimento dos folículos ovarianos.

Após ultrassom de 5º dia de estímulo, se pelo menos um folículo estiver com diâmetro maior ou igual a 14 mm, iremos iniciar o uso do antagonista  de GnRH diariamente, à noite, juntamente com o FSH/hMG. Essa medicação tem como objetivo bloquear a ruptura espontânea e precoce dos folículos.  Usar até a noite em que será aplicada a gonadotrofina coriônica.

Quando dois ou mais folículos apresentarem diâmetro médio de 17mm será feita a administração da medicação hCG ou o agonista de GnRH (Gonapeptyl Daily).

Após o uso o hCG ou do Agonista de GnRH, o uso das medicações será interrompido. A Captação de óvulos será programada cerca de 35 a 36 horas após a administração do hCG. Para tal, o casal deverá comparecer à clínica meia hora antes do horário programado para a captação. A paciente deverá estar em jejum completo de no mínimo 8 horas.

A anestesia usada no procedimento será a geral intravenosa de curta duração.

A transferência dos embriões se acontecer a fresco – no mesmo ciclo de estímulo ovariano, sem congelamento dos embriões – ocorrerá entre o 3º e 5º dia após a captação. A transferência é um procedimento simples, que não requer sedação e que é feito através da passagem de um cateter flexível por via vaginal, guiado por ultrassom. Esse cateter levará o embrião até a cavidade uterina, onde será depositado cuidadosamente.

Após a transferência, a cliente permanecerá 10 minutos em repouso na clínica e seguirá para sua residência.

A partir do 3º dia pós-transferência, relação sexual será liberada, porém, com uso de preservativo. Se Beta hCG for positivo, manterá o uso do preservativo até a 12ª semana de gestação.

Recomenda-se a realização do teste de Beta hCG no 14º dia após a transferência. Se o resultado for positivo, fazer USG sete dias depois para identificar o número de embriões implantados.

Medidas a serem observadas ao início do estímulo:

  1. Recomenda-se a suspensão das atividades físicas a partir do 5º dia de estímulo para evitar o risco de torção ovariana.
  2. Será orientada a abstinência sexual por dois a cinco dias antes da captação dos óvulos para melhor qualidade seminal no momento da Fertilização in vitro.

Situações em que pode ocorrer cancelamento do ciclo ou mudança do tratamento:

  1. Resposta insuficiente ao estímulo ovariano (na vigência de menos que três folículos dominantes será discutido com os parceiros sobre a alternativa de cancelamento do ciclo);
  2. Resposta ovariana exagerada caso o casal não concorde em congelamento embrionário.
Abrir chat
Preciso de ajuda?
Olá,
Posso te ajudar?